TOP 10

Aqui está a lista dos meus 10 livros favoritos em no Primeiro semestre de 2019!

01

Convite à Filosofia - Mario Ferreira dos Santos

É um livro introdutório a filosofia do autor e apesar de pequeno, tem um conteúdo grandioso. Organizado em duas partes, o pequeno livro de 214 páginas traz na primeira parte ensinamentos fundamentais sobre: O que é o fato, o conceito, a razão, a intuição, a abstração e seus processos, o princípio de causalidade, entre outros. Infelizmente esse livro não é mais editado, mas é possível achá-lo em Sebos e em PDF (Click aqui para download).

02

Introdução a Aristóteles - Giovanni Reale

Se você sempre quis entender a filosofia de Aristóteles, mas acha um tanto complicado de entender, esse livro vai te ajudar. Compreender o conceito de substância é mais simples nas palavras de Reale, entender que as quatros causas das coisas, a doutrina de Ato e Potência, enfim, muito da filosofia do Estagirita é possível entender com esse livro. 

03

Iniciação à Filosofia - Tomás Malendo

O livro identifica a importante contribuição que as filosofias modernas e contemporâneas deram à filosofia ocidental e analisa - sob a perspectiva da vida do filósofo, sujeito real do filosofar.  O resultado é este livro apaixonante e apaixonado, escrito com clareza e surpreendente lucidez, indispensável tanto para os leigos como para os já iniciados na reflexão filosófica. 

 

04

Theodore Dalrymple: A ruína mental dos novos bárbaros - Maurício G. Righi

O livro de Maurício G. Righi narra, a princípio, a formação de um crítico social e literário, nascido da prática médica nas enfermarias psiquiátricas da sarjetas inglesa. A seguir, o autor orienta os leitores rumo ao diagnóstico que Dalrymple faz da cultura contemporânea: um mundo moral em ruínas.

05

Filosofia da Crise - Mario Ferreira dos Santos

Ocupando um lugar de destaque na vasta produção do filósofo brasileiro Mário Ferreira dos Santos, Filosofia da Crise é o mais novo lançamento da É Realizações. Nesse livro, o autor discute a crise em seus diferentes matizes: econômico, moral, ético ou comportamental, artístico ou social; um tema bastante atual, que pode interessar a todos aqueles que queiram aprofundar seu conhecimento da obra de Santos.

 

06

Aprendendo Inteligência: Manual de instruções do cérebro para estudantes em geral

Durante muito tempo, acreditou-se que a inteligência fosse uma característica inata. O fator genético era considerado bem mais influente do que o fator ambiental. Porém, devido aos avanços da neurociência, ficou demonstrado que inteligência, talento e vocação são características que podem ser adquiridas com facilidade e um pouco de esforço. Neste livro, dedicado aos estudantes de todos os níveis, o Pierluigi Piazzi (conhecido carinhosamente pelos seus alunos como Prof. Pier) ensina a usar a inteligência para se tornar uma pessoa mais inteligente.

 

07

Aristóteles em Nova Perspectiva: Introdução a Teoria dos Quatro Discursos

Há embutida nas obras de Aristóteles uma idéia medular, que escapou à percepção de quase todos os seus leitores e comentaristas, da Antiguidade até hoje. Mesmo aqueles que a perceberam – e foram apenas dois, que eu saiba, ao longo dos milênios – limitaram-se a anotá-la de passagem, sem lhe atribuir explicitamente uma importância decisiva para a compreensão da filosofia de Aristóteles.  Podemos resumir em uma frase: o discurso humano é uma potência única, que se atualiza de quatro maneiras diversas: a poética, a retórica, a dialética e a analítica (lógica).

 

08

The Big Bang Theory e a Filosofia (Cultura POP)

Um estilo de vida dedicado à análise de revistas em quadrinhos, filmes e séries de TV é intrinsecamente “certo” ou “errado”? Deveríamos todos adotar um “acordo de convivência” com nossos pares? Afinal, religião e ciência são completamente incompatíveis? Com essas e muitas outras indagações, The Big Bang Theory e a filosofia traz um foco filosófico a partir de uma das maiores comédias da TV atual.

 

09

Admirável Mundo Novo - Aldous Huxley

Ele mostra uma sociedade inteiramente organizada segundo princípios científicos, na qual a mera menção das antiquadas palavras “pai” e “mãe” produzem repugnância. Um mundo de pessoas programadas em laboratório, e adestradas para cumprir seu papel numa sociedade de castas biologicamente definidas já no nascimento. Um mundo no qual a literatura, a música e o cinema só têm a função de solidificar o espírito de conformismo. Um universo que louva o avanço da técnica, a linha de montagem, a produção em série, a uniformidade, e que idolatra Henry Ford. Essa é a visão desenvolvida no clarividente romance Huxley. 

 

10

Criação do Ocidente - Christopher Dawson 

Criação do Ocidente cobre o período que vai da queda do Império Romano do Ocidente até o fim da Idade Média. Mostra que, em vez de fatores seculares e econômicos, foi a religião que permitiu a um pequeno grupo de povos da Europa Ocidental adquirir poder para transformar o mundo e emancipar a humanidade de uma dependência imemorial da natureza, levando-a a inevitáveis estágios crescentes de progresso.

© 2023 por Por que Filosofia.